Saiu o resultado. Fui ao médico!


Por mais que esteja me sentindo forte e preparada pra guerra, essa história de câncer não me sai da cabeça. Quando estou sozinha lá vem ela e todas as ideias que este assunto costuma fazer surgir. Será mesmo um tumor malígno? e se for, vou precisar de cirurgia ou quimioterapia? Ah, se eu começar a perder cabelo, como vou me arrumar? e por aí vai.

Bom, ontem foi o dia da biópsia. Olha, não posso dizer que é agradável. Quando o médico inseriu aquela espécie de tubo, agulha, sei lá, e "sugou" a primeira amostra do tumor ( foram cinco amostras), levei um susto! senti uma dorzinha e pensei: acho que isso é só o começo!

Conversei bastante com o médico que me explicou os motivos que tornavam o meu nódulo um forte suspeito de malignidade. Forma não muito bem definida e calcificações no interior, por exemplo. Mas somente o resultado da biópsia iria comprovar.

Lembrei do que li a respeito do grau cinco, que falei num dos posts anteriores. Dizia, "95% de chances de ser câncer".

Terminado o exame, fui para o carro acompanhada pelo meu marido.

Logo depois, uma grande amiga me ligou. Contei para pouquissimas pessoas, e a Dounia estava entre elas. Comecei a narrar a conversa com o médico, o susto que levei... e senti um nó na garganta.

Mas, eu me mantive firme! Nenhuma lágrima.

Continuei a conversa dizendo que deveríamos ser realistas e que a coisa estava ficando feia para o meu lado!!

Ri mais uma vez.

Definitivamente, levar no bom humor é muito mais fácil.

Depois disso, encontrei meus filhos e fomos todos almoçar. Olhei para eles e pensei, não tenho sequer o direito de pensar em fraquejar!

Destaque
Siga, Curta e Compartilhe
  • Facebook ícone social
Ultimos posts

Since 2015 | Todos os textos e imagens foram produzidos por Vanusa Vicelli e/ou Jucienne S R Camilotti, exceto quando sinalizado. | Todos os direito reservados. Proibido divulgação sem autorização.