Since 2015 | Todos os textos e imagens foram produzidos por Vanusa Vicelli e/ou Jucienne S R Camilotti, exceto quando sinalizado. | Todos os direito reservados. Proibido divulgação sem autorização.

Sobre enfarto e a segunda químio

26.01.2016

 

 

Não, não fui eu quem enfartou!​​

Mas um amigo querido, de 46 anos, sim! e outro, cinco anos mais jovem, quase!!! Ambos nesse mês! 

Graças a Deus e ao socorro rápido, além do bom atendimento médico, os dois estão bem. Mas, ano passado, perdi um cunhado para um enfarto fulminante. Morreu aos 48.

No mês que vem, serão nove anos sem meu amigo-irmão, Wagner Vital!  Ele não teve nenhuma chance de pedir ajuda. Partiu antes de completar 47 anos (idade que completo este ano).

 

Há alguns anos, meu marido (então com 43) também teve problemas cardiológicos. Ficou quatro dias numa UTI e descobriu que estava com 60% de uma artéria obstruída. Pra piorar, ele é fumante!

 

Estou dando ênfase às idades porque na década de 70, o infarto  acontecia depois  do 60, segundo uma entrevista que o Dr. Carlos Alberto Pastore ( médico, doutor em Cardiologia pela Faculdade de Medicina da USP e diretor do Serviço de Eletrocardiologia do Incor) deu ao Dr. Dráuzio Varella (médico cancerologista e grande comunicador. Talvez o mais conhecido médico brasileiro por seu trabalho em TV e na internet). Hoje estamos perdendo por infarto pessoas com menos de 50 anos!!!!

 

No site do Incor encontrei a assustadora informação de que, no Brasil, 350 mil pessoas   sofrem infarto agudo do miocárdio a cada ano. É a maior causa de mortes no país, 66 mil óbitos/ano ( veja em www.medcorp.com.br)

 

O que precisamos fazer para não nos transformarmos em estatística?

Cuidar da alimentação, fazer exercícios, não fumar! A gente sabe o que é necessário. Mas não faz!!

Até que tenhamos algum problema grave de saúde ou a morte  venha bater  à nossa porta.  Incrível! ( E eu me incluo nesse grupo porque não fiz meus preventivos).

 

Pelo que andei lendo, o  stress também é  um grande causador de infarto. Então, pra quê tantas horas de sono perdidas, refeições puladas, discussões tolas, por que precisamos ser tão competitivos e quando vamos aprender a lidar melhor com as frustrações? Quando vamos aprender a viver com menos e melhor, a  administrar melhor nosso tempo e dedicar mais horas ao que nos faz feliz? 

Bem, esse post é um desabafo! Perdi duas pessoas incríveis para o infarto e foi por pouco que outras três continuaram por aqui. Espero que além de um desabafo, seja também um alerta.

Quanto à minha segunda químio, não vomitei ( uhuuu!), tive um pouco de dor de garganta, senti um pouco de dor de cabeça, sooonoooo e um cansaço maior do que o normal em atividades que antes seriam fáceis. Tudo certo até aqui!

Também quero dizer ainda que continuo curtindo a careca e os turbantes! Na verdade, alguns são relamente muito charmosos.

para usar com ou sem cabelos.
Estou adorando porque minha avó, que era linda e chiquetérrima, costumava usar turbante. Eu e todas as outras netas achávamos lindo demais!

 Mulheres com câncer e que perderam os cabelos,

"ABAIXO AOS LENÇOS MAL COLOCADOS"  e viva o charme!!

Ânimo mulherada! 

Se inspirem na Susan, que tinha medo de raspar a cabeça e agora, olhem  que bonitona!

 

No próximo post quero falar sobre as pessoas que conheci na clínica. Uma lição atrás da outra.  Penso nelas todos os dias, desde então.

Penso que quero compartilhar aquelas histórias incríveis.

Ah, tenho de contar também das minhas conversas com a Ju e  com a Susan. Até lá!!!

 

obs: aquela imagem do coração encontrei no site predromigão.com.br

 

 

 

 

 

 

Please reload

Destaque

Uma outra Perspectiva para a Cura - Parte III

November 4, 2019

1/7
Please reload

Siga, Curta e Compartilhe
  • Facebook ícone social
Ultimos posts

September 23, 2019

July 13, 2019

Please reload