Novembro Azul: por que homem não gosta de ir ao médico?


​Estive lendo a respeito dos motivos que afastam os homens dos consultórios médicos, consequentemente dos exames de prevenção. Afinal, estamos no Novembro Azul, e só a repercussão infinitamente inferior ao Outubro Rosa, já exige essa reflexão.

Sim, porque se uma a cada oito mulheres têm câncer de mama... um a cada seis homens tem câncer de próstata (a partir dos 50 anos). Mas existem outras doenças que afetam mais os homens como doenças do coração, por exemplo.


Eles, ou vocês ( para os homens que estão lendo), não têm o mesmo hábito das mulheres, de ir ao médico pelo menos uma vez ao ano.

Quer saber o motivo?

Bem, segundo uma reportagem da Revista Exame, uma pesquisa feita nos Estados Unidos constatou que a maioria dos homens só vai ao médico por dor prolongada ou se desconfiam que estão com sintomas graves.

Pode isso?

O programa Bem Estar, da Rede Globo, apresentou outra pesquisa dizendo que 60% dos homens só vão ao médico levados pelas mulheres!!!!

O motivo... falta eu contar o motivo!

Eles têm medo de encontrar algum problema grave!!!


Agora, se falarmos especificamente do exame de próstata, aí entra mais um componente: o preconceito! Medo de gostar do exame de toque e virar gay!!!!!!! Socorro!!! é demais pra minha cabeça!

O site EL Hombre, feito por homens para homens, entrevistou o psicólogo Luiz Gonzaga Leite, coordenador do setor de psicologia do Hospital Santa Paula, e ele disse isso! Os caras têm medo de gostar do exame e virar gay!


Bom, só posso dizer o seguinte pra essa homarada machista. Esse medinho de vocês, os coloca numa situação dificílima. Uma vez diagnosticado o câncer, vem aquela dúvida: tratamento ou cirurgia? E os caras começam com outro dilema, medo de ficar impotente. Ok, o risco existe, mas quad to mais jovem e mais cedo detectar o problema, menor o risco!



Opinião feminina, ok?

Primeiro, não achamos que nossos homens vão deixar de ser héteros porque fazem exame de toque. Em segundo lugar, melhor previnir indo ao médico com freqüência porque o problema na próstata pode aparecer antes dos 50, principalmente para quem tem casos na família. E o acompanhamento é importantíssimo.

Terceiro, larguem mão de frescura e vão se cuidar! rssss



Sabe o que uma clínica aqui de Curitiba está fazendo pra tentar atrair os homens (para um evento de graça, que vai reunir um oncologista, um cirurgião e um radioterapeuta), sobre câncer de próstata? Uma palestra sobre harmonização de vinhos, com degustação e tudo! Já que a saúde não os atrai, quem sabe um bom vinho faça isso, né?

Mesmo assim, o evento ainda não lotou ainda!!!!


Bom, só posso apelar para as mulheres! Convoquem seus homens a irem ao médico. Controlem a agenda de consultas deles. E, se possível, os convençam a ir a eventos como esse do Centro de Oncologia do Paraná. Só tem que mandar email confirmando presença, hein?!

Estou divulgando porque considero muito importante! E sei o que é enfrentar um câncer, né?


Bom, semana que vem tem mais!

beijos a todos!


Obs: Neste post também têm fotos da reunião do Rotary Club Champagnat, onde dei palestra! Foi muito bacana! Obrigada pessoal, pelo convite e pela oportunidade!​

Um grupo muito interessado e muito participativo foi assistir.

Mas não posso deixar de dizer que algumas presenças me surpreenderam e me deixaram imensamente feliz. Amigos queridos que foram especialmente para me prestigiar.

E eu fiquei me achando mesmo! Até certificado eu recebi da Presidente, Juliana Pereira! Além dos lenços que foram arrecadados e uma surpresa muito linda preparada por minha amiga e comadre, Adriana Milkzevski.

Etiquetas para o Laços do Peito! Uma iniciativa da Adri e a criação da designer, Juliana Marchioro! Obrigada, meninas, vocês são muito especiais. Muita quimioterapia do amor para todos nós!

Destaque
Siga, Curta e Compartilhe
  • Facebook ícone social
Ultimos posts

Since 2015 | Todos os textos e imagens foram produzidos por Vanusa Vicelli e/ou Jucienne S R Camilotti, exceto quando sinalizado. | Todos os direito reservados. Proibido divulgação sem autorização.