Since 2015 | Todos os textos e imagens foram produzidos por Vanusa Vicelli e/ou Jucienne S R Camilotti, exceto quando sinalizado. | Todos os direito reservados. Proibido divulgação sem autorização.

A vida sexual do paciente com câncer

  

Olha, este assunto é muito mais comum nas rodas de pacientes do que vocês podem imaginar!! É um problema sério, mas rende muita risada, pelo menos entre as mulheres.

Confesso que nunca conversei com pacientes homens a respeito. Mas, percebo que entre nós, mulheres, o tema é recorrente.

 

Esta semana, alguém escreveu assim, no grupo do Laços do Peito no WhatsApp:

- Libido? mas o que é libido? kkkk

Todas rimos! Mas como já disse, o assunto é sério.

 

foto: Bruna Mendes

Fui dar uma lida respeito e encontrei um texto muito interessante no Portal Oncoguia  sobre Câncer de Mama e sexualidade, que coloca a questão, mais ou menos, assim ( acho que vale pra todo tipo de câncer):

No início, época do diagnóstico, o paciente  fica preocupado, às vezes desesperado. E isso já reflete na disposição para o sexo, certo?

Aí tem o vai e vem de exames, consultas, início de tratamento, dúvidas: vou fazer químio, radioterapia, cirurgia? Nesta fase, o paciente está mais preocupado em se manter vivo do que com  a vida sexual. Dá pra entender, né?

Depois, os problemas relacionados à autoestima. Alguns perdem os cabelos, engordam ou emagrecem, vêem o rosto inchar ou enfrentam cirurgias mutiladoras.

Galera, no caso das mamas, é algo bem delicado para a mulher, né? A feminilidade, a sensibilidade são afetadas, concordam? ok, entendido!!

Porém, existem outros tipos de câncer que deixam marcas, que limitam ou criam novos realidades para os pacientes, e que devem mexer abalar a segurança em relação ao desempenho sexual. 

 

Bom, a questão é que o desinteresse sexual pode provocar problemas nos relacionamentos e até desfazer casamentos.

Agora, o quê fazer?

Será que o companheiro ou companheira podem ajudar?

Vejam o que diz o texto do Portal Oncoguia na reportagem sobre o câncer de mama ( mas que vale, na minha opinião para outros tipos de câncer):

 

"Os problemas de relacionamento também são importantes, uma vez que o diagnóstico do câncer pode ser tão angustiante para a paciente, como para seu parceiro. Os parceiros geralmente se preocupam com a forma de expressar seu amor física e emocionalmente após o tratamento, especialmente após a cirurgia. A relação pode se fortalecer se o parceiro participa na tomada de decisões e acompanha a esposa em todas as etapas do tratamento."

 imagem: pixabay

 

Quanto a nós pacientes, eu diria o seguinte: Tem que se  esforçar!

Trabalhar a cabeça e aprender a se gostar mesmo com cicatrizes e novas configurações do nosso corpo. Talvez você não consiga isso sozinho ou sozinha. Neste caso, melhor buscar ajuda de um terapeuta. Ah, mas é caro!!

Verdade! Porém, algumas faculdades de psicologia oferecem atendimento gratuito ou quase de graça.

Além disso, uma boa conversa com o médico e com a pessoa que você ama também podem ajudar bastante.

O que não dá é deixar a vida passar! principalmente depois de se ter a chance de entender o quanto ela é valiosa!

Aguardo comentários porque o tema pode render outros posts! 

beijo a todos!

Please reload

Destaque

Uma outra Perspectiva para a Cura - Parte III

November 4, 2019

1/7
Please reload

Siga, Curta e Compartilhe
  • Facebook ícone social
Ultimos posts

September 23, 2019

July 13, 2019

Please reload