Since 2015 | Todos os textos e imagens foram produzidos por Vanusa Vicelli e/ou Jucienne S R Camilotti, exceto quando sinalizado. | Todos os direito reservados. Proibido divulgação sem autorização.

O título de hoje se refere à várias situações. Quase fui a nocaute várias vezes na última semana. A primeira delas foi com a notícia de que minha querida e divertida amiga, Orasilia, partiu.  Vocês não imaginam como ela era animada! Ia e voltava da quimioterapia, postando mensagens de força e sorrisos iluminados nas redes sociais.

 

A primeira mensagem que recebi dela foi a seguinte:

 

"Olá, minha mais nova amiga de rede social, acho que também somos irmãs de luta, de dor, de noites sem dormir... mas com um desejo de viver imenso".

 

Foi uma amiga em comum quem nos colocou em contato com uma frase mais ou menos assim: "vocês duas juntas, ninguém segura"! Não foi bem isso, mas foi algo parecido. Bem, Orasilia morando em Tupã, no interior de São Paulo e eu aqui em Curitiba.  Foi uma relação que seguiu num crescente. Passamos a comentar os posts uma da outra; a trocar mensagens de texto; depois, de voz; mais adiante fotos e, finalmente, no fim do ano passado nós nos conhecemos. Fez questão de passar uns dois dias aqui em Curitiba, pra passear um pouco e conhecer pessoalmente a mim e à Adriana Zadrozny.

Um encontro de almas que tinham muito a dizer umas para as outras.

 

De lá pra cá, as notícias foram ficando difíceis,  luta foi grande e  terminou na manhã da última terça. Recebi a notícia de uma outra amiga em comum, que nem sabia que tínhamos, a Keli Mapelli.

Keli me contou que Tupã inteira estava de luto.

Não é fácil ver pessoas se despedindo dessa vida antes de realizar alguns sonhos como o de ser avó, por exemplo. E algumas pessoas são tão intensas, tão incríveis que quando se vão deixam um vazio no universo.

A notícia dessa partida, me causou tristeza, mas me trouxe a certeza de que ela ensinou a muitas pessoas a importância de viver com alegria, de enfrentar os obstáculos com esperança e fibra.

Obrigada, amiga Orasilia. Foram dois anos de muitas risadas. Algumas lágrimas também, claro! e muito aprendizado.

Sou capaz de escutar sua gargalhada ecoando por aí! E é dela que vou me lembrar sempre!

 

Sobre os outros nocautes? eles perderam a importância.

 

 

 

Please reload

Destaque

Uma outra Perspectiva para a Cura - Parte III

November 4, 2019

1/7
Please reload

Siga, Curta e Compartilhe
  • Facebook ícone social
Ultimos posts

September 23, 2019

Please reload