Since 2015 | Todos os textos e imagens foram produzidos por Vanusa Vicelli e/ou Jucienne S R Camilotti, exceto quando sinalizado. | Todos os direito reservados. Proibido divulgação sem autorização.

De onde vem a nossa força

A semana que passou foi daquelas, tão cheias de informações, que nem sei bem por onde começar! rsss

Talvez pelo final seja uma boa ideia, rsss!

Na sexta-feira, fui tomar café e almoçar ( nessa ordem) com a Cassiana Pizaia, escritora, jornalista, minha colega de trabalho por anos e minha amiga querida! Quando nos conhecemos lá pelo final dos anos 90, jamais poderíamos imaginar o que viveríamos.

Cassiana Pizzaia, Jornalista e escritora.

 

Enfrentamos o câncer juntas. Eu descobri em novembro de 2015 e ela em fevereiro ( se eu não me engano) de 2016. Eu, o câncer de mama e ela o temido câncer de ovário.

 

Assistimos uma a transformação da outra. A paciência amadurecer, a ternura perder a timidez, descobrimos a meditação e seu poder de cura,  encaramos a luta contra a doença com coragem, força e, principalmente, alegria. Muita alegria.

 

No ano passado, quando tudo parecia ir bem, uma bomba!

Cassi teve recidiva. A situação era grave! Revolta, dor, medo...

 

Muito amigos em comum me procuravam pra saber notícias dela. E eu... mal conseguia responder às perguntas, invariavelmente eu ficava com as palavras presas enquanto as lágrimas é que eram liberadas. Chorava muito porque sabia  do quão grave era e também sabia como ela estava se sentindo antes da recidiva. Afinal era como eu me sentia... Eu sabia que ela, assim como eu, tinha descoberto novas cores, novos aromas e novos sabores da vida. E, de repente, parecia que tudo isso tinha sido tirado daquela pessoa que vi desabrochar. Não costumo sentir medo, mas  confesso que naquele período senti medo.

Porém, eu subestimei aquela garota! rsss

A Cassiana, que é do tipo mignon, se agigantou! Reuniu todos os sentimentos, todas a forças e toda a determinação para vencer a doença. Passou por uma cirurgia enorme, quase perdeu a vontade de lutar nos dias que se seguiram a ela.

Mas, foi nos versos de uma música delicada e sensível que redescobriu os motivos que a fizeram chegar até ali.

 

"Tu é trevo de quatro folhas

É manhã de Domingo à toa

Conversa rara e boa

Pedaço de sonho que faz meu querer acordar

Pra vida

Ai ai ai..."

  (Trevo, de Anavitória)

 

 Voltou a se alimentar, a aceitar a medicação e - aos poucos - foi se refazendo, se reconstruindo...

 

Determinada que só, passou por várias terapias alternativas, devorou diversos livros sobre o câncer e sobre quem venceu o câncer, até chegar ao como.

Como ela iria vencer o câncer.

E foi essa Cassiana, que eu encontrei no nosso café(zinho) seguido de almoço. A Cassiana que perdeu o medo da doença e encontrou dentro dela a força e a determinação para se manter saudável. Entre os caminhos que encontrou, escolheu não mais comer açúcar, farinha de trigo ou carne. Caminha diariamente e escreve poesia nas horas vagas! 

Uma Cassiana mais leve, mais tolerante, mais...feliz!

 

Minha amiga me fez dizer não a uma fatia de pizza na noite de sábado! Afinal, perder peso - no meu caso - não é uma questão de vaidade, o excesso de peso é um fator de risco para o câncer!

Assim como um rapaz que conheci na semana passada e que perdeu 61 kg sem cirurgia bariátrica, a Cassiana me lembrou que a determinação e forçade vontade , não vêm de fora, isso a gente encontra dentro da gente!

 

 

 

 

Please reload

Destaque

Uma outra Perspectiva para a Cura - Parte III

November 4, 2019

1/7
Please reload

Siga, Curta e Compartilhe
  • Facebook ícone social
Ultimos posts

September 23, 2019

July 13, 2019

Please reload